TRANSFORMAÇÃO MOTRIZ DA ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA SOBRE A CULTURA FÍSICA OCUPANDO ESPAÇOS FORMAIS E INFORMAIS

Autores

  • Felipe Canan Universidade do Estado do Amazonas
  • Jandre Santiago Amorim de Araujo Universidade do Estado do Amazonas
  • Fernando da Silva Oliveira Universidade do Estado do Amazonas

Palavras-chave:

Motricidade, Cultura física, Esporte para todos

Resumo

A prática motriz (motricidade, movimento humano) na escola vai muito além dos momentos formais de ensino-aprendizagem mediados por um professor, desenvolvendo-se também em âmbito informal, espontâneo, autônomo e lúdico. Nessa perspectiva, apresenta-se um relato de experiência de projeto de extensão que objetivou diagnosticar e aprimorar espaços próprios e potenciais para prática motriz em escolas municipais de diferentes realidades administrativas do município de Manaus. Metodologicamente, diagnosticou-se o espaço de 8 escolas, sendo escolhidas duas para receber uma intervenção no sentido de aprimoramento dos seus espaços para estímulo da prática motriz dos alunos. Em cada escola foram realizadas diversas pinturas de jogos, brincadeiras e estruturas esportivas, maximizando espaços até então pouco utilizados e, com isso, estimulando o desenvolvimento motriz autônomo das crianças, além de alegrar o ambiente escolar. Apesar de dificuldades de várias naturezas enfrentadas, foi possível concluir o projeto, que se mostrou viável e interessante para projetos e políticas públicas futuras.

Downloads

Publicado

2023-04-13

Como Citar

Canan, F., Araujo , J. S. A. de, & Oliveira, F. da S. (2023). TRANSFORMAÇÃO MOTRIZ DA ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA SOBRE A CULTURA FÍSICA OCUPANDO ESPAÇOS FORMAIS E INFORMAIS. Revista FundAção, 1, 79–93. Recuperado de https://revistafundacao.fsa.br/ojs/index.php/rfa/article/view/5

Edição

Seção

Relato de experiência extensionista